sexta-feira, 17 de março de 2017

Campeonato de esgrima (agora à séria)


No fim-de-semana passado fui ao primeiro campeonato de esgrima (à séria)! Digo "à séria" porque já tinha ido a este, mas desta vez foi com as regras todas de competição, eléctrico, a solo e sem outro pretexto, que não competir. Foi em Arnhem, organizado pelo clube Arnhemse Schermvereniging Scaramouche.

Como não treinava há uns tempos e os últimos treinos tinham corrido tão mal... a esperança não era grande, excepto o ambiente era descontraído e muito social (assim me disseram as colegas) ia esgrimar muito. Por isso, mesmo que perdesse todas as partidas, ao menos perdia cerca de 20 partidas!

Primeiro, foi conseguir transportar tudo. Porque é preciso mesmo muito equipamento! Calças, meias, ténis, meio-colete protector, protector plástico, casaco, máscara, luva, duas armas, dois fios de corpo eléctricos, mais a t-shirt, água, comida,.... enfim, custa só carregar com tudo!

Por ser uma competição de veteranos (aberta a seniores), o ambiente foi realmente descontraído e sem o fanatismo das competições jovens, em que cada um quer mesmo ganhar a todo o custo e berra a cada ponto.

Conheci muitas pessoas simpáticas, que só querem passar um dia a fazer o que gostam. E esgrimei muito. Quem compete também tem de se revezar a arbitrar, o que gostei muito de fazer (apesar de não saber bem as regras)!

Ainda ganhei três partidas e não fiquei em último! Valeu  pena!


segunda-feira, 6 de março de 2017

Parque do Palácio Het Loo

No último fim-de-semana, finalmente juntei-me  um meetup de caminhadas: o park do palácio Het Loo, perto de Apeldoorn. A promessa é ver sequóias, árvores com mais de três séculos e abetos gigantes (Douglas Firs).

As maiores árvores da Holanda encontram-se aqui, no parque do palácio, um terreno com 650 hectares, mas que faz parte de uma propriedade real com mais de 10 000 hectares, criado em 1684.

A visita foi guiada por uma guarda florestal que foi explicando que ali se encontram os estábulos da família real, o antigo cemitério dos animais de estimação reais (cavalos e cães) e também um campo de caça (tiro).

Também ali se encontram os mais antigos e altos abetos de Douglas na Holanda, que foram importados dos EUA entre 1869 e 1870 pelo rei Willem II. O mais alto tem mais de 50 metros. As árvores são normalmente cobiçadas por madeireiros porque crescem muito direitas e, estas em especial, sem ramos no parte mais baixa do tronco. Se esfregar-mos as agulhas dos ramos, deitam um cheiro cítrico, único em abetos.

Ao som de pica-paus, fomos andado pela floresta. Passeámos pela ala do rei ladeada por carvalhos com 324 anos de idade, os mais antigos no país. Vimos sequóias (com o tronco esponjoso) e as famosas "sprengen". Estas são uma espécie de riachos, feitos manualmente, para transportar água de uma nascente distante até ao parque. O declive e a mestria são suficientes para criar fontes no parque e no palácio. Pontes pequenas por cima destes riachos vão ligando todos os caminhos.



Devido ao abrigo das árvores, o parque tem muita variedade de vida selvagem: veados, javalis , arminhos, perdizes e afins. O parque também é conhecido pela variedade de cogumelos, insectos e pássaros. Ainda vimos um king fisher (Martim pescador?, Guarda-rios?), que só tinha vista na Costa Rica.


sábado, 25 de fevereiro de 2017

Só na Holanda...

... é que sai vem no jornal um mapa com os radares da polícia!

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

The Gift

Soubémos que os "The Gift" vinham actuar ao Melkweg e, apesar de não ser uma grande fã, aceitei a companhia. Começámos com um jantar na "vizinha da frente" e lá fomos.
O concerto foi muito bem! Eles deram 100% no palco e no fim ainda tirámos fotos e demos dois dedos de conversa.




terça-feira, 27 de dezembro de 2016

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

TEDxJNJ


Sempre adorei as TED talks que vejo há anos no youtube. Vantagens de trabalhar numa empresa gigante: tem eventos TEDx próprios. Voluntariei-me logo para organizar o evento em Leiden, mesmo à beira de "casa". Depois de meses de preparações e algum stress, o evento chegou!
Com o tema Fuel up. superou as minhas expectativas! As talks (a maioria por colegas) foram inspiradoras. As actividades nos átrios nos intervalos (responsabilidade do meu grupo) muito interessantes. O bingo interactivo (minha ideia e concretização) um sucesso.



segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Casamento do Pedro e da Emanuela

Desde que fui convidade, andava desejosa que chegasse a data do casamento do Pedro e da Emanuela. Cerimónia no Porto, cope-de-água nas caves do vinho do Porto, companhia de amigos. Todos os ingredientes para um fim-de-semana excelente. E superou as expectativas.

O primeiro dia, dia de passeio, foi dia dos Cs: comida, compras e cultura. Francesinhas, pequeno almoço gigante com direito a tudo o que uma pastelaria portuguesa nos pode oferecer, castanhas assadas na rua, delirámos com tudo. Ainda visitámos a livraria Lello e a Igreja de S. Francisco, que é linda e impressionante na "explosão" de talha dourada.

Depois, dia de casamento. Revemos muitos amigos da Holanda e comemos sem parar durante horas. Ainda fizémos uma visita guiada breve às caves Taylor. E comemos, bebemos, dançámos, econvivemos.





Foi uma festa bem passada!



segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Aconchego tuga

Nem sabia bem quem era o António Zambujo quando comprei o bilhete para o concerto. Na verdade, não estava muito entusiasmada depois de ouvir as primeiras músicas. Mas o concerto no Muziekgebouw foi intimista e bonito. Fiquei fã.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Escape room

Por aqui andam na moda os escape rooms. Uma espécie de sherlock holmes moderno: um grupo é fechado numa sala e tem 60 minutos para descobrir pistas e encontrar a saída.
Com um grupo do trabalho fomos a este em Leiden, que fica numa fábrica abandonada de farinha. É considerado um dos mais difíceis da Holanda e só 30% dos grupos conseguem sair. É certo que tivemos umas ajudas, e que o facto da equipa ser internacional (1 holandesa, 2 irlandeses, 1 portuguesa e 1 americana) também terá contribuído. Mas conseguimos escapar em 55 min!



terça-feira, 9 de agosto de 2016

Gay parade

Este ano, a convite da Thessa e do Fred, vi a gay parade em primeira fila. Não há melhor lugar do que um barco no canal para entrar no espírito e ver de perto todos os barcos, que este ano foram 80.












Só mesmo na Holanda é que se encontra na gay parade um barco cheio de polícias fardados, outro de militares e onde, para muitas empresas, é questão de orgulho dar o nome e fazer parte do desfile.